La bella Roma
Monday June 8, 2015 | Fotografia, Itália

Roma, capital da Itália, e seus mais de 2.500 anos de história a fazem ser minha cidade preferida.
De todas.
Do mundo.
Quando morei lá (em 2014) fui a capital 5 vezes, e no final de semana passado fui novamente. Essa é uma cidade que nunca vou cansar de visitar. O Coliseu, os fóruns, as fontes e suas maravilhosas estátuas, o Pantheon, as praças, a luz amarelada de suas vielas durante a noite… Tudo nessa cidade me encanta, e trago nesse post algumas fotos que tirei ao longo das minhas viagens pra lá.

Roma

Acima, o arco de Constantino.

Roma

Abaixo, o Altare della Patria, que é um dos edifícios mais bonitos que tive a oportunidade de ver até hoje. Ele é monumental. Gigante. Branco, maravilhoso e com várias estátuas – inclusive uma delas, a principal, foi feita por Enrico Chiaradia, família de um grande amigo meu.

Roma

Abaixo as vielas que tanto gosto, e tomam a Itália quase que por completo.

Roma

Gelato

Eu não gosto de sorteve. Pois é, não gosto mesmo. Até tomo, mas prefiro qualquer outro doce a sorvete. Mas a questão é que o gelato da Itália não chega nem perto do que a gente chama de sorvete mundo afora.

Roma

Esse singelo copinho de sorvete foi €4 euros, e é da sorveteria Ciucculá, que fica na Piazza della Rotonda, praça do Pantheon. Particularmente é o melhor sorvete que já tomei! Eles tem milhares de sabores, incluindo Kinder Bueno, Ferrero Rocher e Nutella (o que mostro nessa segunda foto), que é basicamente Nutella PURA, tanto que mesmo sendo amante de chocolate como ninguém, não consegui comer tudo. Tinha cheiro, textura, cor e sabor de Nutella. MA RA VI LHO SO.
Você escolhe se quer copinho ou casquinha, cujos tem 3 ou 4 tamanhos cada, e você vai escolhendo os sabores, até completar – no meu caso, foram 4 diferentes.

Fica aí a dica, já que o verão tá chegando por aqui ;)

Gente, por motivos inexplicáveis, fiquei sem celular E sem notebook. Sim. Tudo de uma vez. No mesmo dia (noite). Espero conseguir comprar tudo novo logo, assim volto a blogar – JUSTAMENTE AGORA QUE EU TINHA PEGO FIRME COM O BLOG. tá loke, né?
Enfim. Volto logo <3

6 comentários


Quando conheci alguém importante: Audrey Sylvain
Tuesday June 2, 2015 | Música, Pessoal

Nunca tive a oportunidade de conhecer alguém que eu realmente nutro uma admiração. Falo sobre pessoas famosas. Não que eu tenha muitos ídolos por aí, tenho até bem poucos, e são músicos em sua maioria. Já imaginava que eu fosse ficar nervosa e, ao invés de ir ao encontro, eu ia me afastar. E assim foi. EXATAMENTE ASSIM.

Audrey Sylvain

Encontrei Audrey Sylvain num show de Black Metal, em Milão/Itália, em dezembro de 2014. Ela estava com seu marido Famine, da banda Peste Noire, que é outra figura que julgo genial dentro desse estilo musical, e obviamente não acreditei quando vi aquela baixinha ruiva na minha frente. De uma delicadeza inigualável, me abraçou e beijou não sei quantas vezes, ela agradeceu muito sobre eu ter dito que o trabalho dela era muito importante pra mim. A única coisa que eu queria era que aquele momento parasse HAHA Sim, fui bem fangirl, mesmo! E, claro, se não fosse o meu namorado isso não teria acontecido, pois a vergonha tomou conta de mim de uma forma bizarra!
Aqui abaixo somos nós duas, bêbadas, acabadas depois do festival. E, bem, ela me pediu pra não postar essa foto em lugar algum pois estava se sentindo feia e “bêbada demais”, mas como eu sou do contra, postei sim… Apesar de ter rabiscado nossas caras (a situação estava muito feia, migas, acreditem!)

Eu e Audrey Sylvain

Cantora, bailarina, pianista, violinista, poeta. E o que mais? Linda, sensacional, diva! haha
Ela é meio francesa e meio alemã, nasceu não sei onde, mas tem 30 anos atualmente. Seu único projeto musical na ativa é o Peste Noire, em conjunto com seu marido. Entre projetos dela e projetos em que ela participou estão Germ, Amesoeurs, Alcest, Horns Emerging e Valfunde.
E eu gosto de todos as bandas que citei aí, e as bandas paralelas dessas bandas também (!!) Todos são ótimos músicos, uns amores, lindos e maravilhosos.

O trabalho dela


Horns Emerging – Spleen: em conjunto com o Kim Carlsson, multi-instrumentista da falecida banda Lifelover, e que atualmente tem os projetos Kall e Hypothermia.



Germ – Butterfly: em conjunto com o Tim Yatras, multi-instrumentista que manteve muitos projetos solos. Seu projeto mais conhecido é o Austere, que acabou em 2010. Hoje, além do Germ, ele mantém as bandas Ilium, Blackened Angel e Autumn’s Dawn.

Sim, sei que é um tipo de som completamente peculiar e é muito fácil as pessoas não gostarem, mas enfim… Fica aí a dica de música, e meu desabafo sobre essa linda noite :)

9 comentários